2 de out de 2014

Erros que comprometem os Relacionamentos




Não há garantias no amor. O fato de estar num relacionamento amoroso, não significa saber tudo sobre o outro, ou estar no controle do rumo que a relação seguirá. Se você é do tipo que morre de medo de se envolver e de vir a sofrer depois, cuidado. Sem perceber, você pode estar colocando um imenso "não" à sua frente, antes de dar um único passo.
 
 Os relacionamentos que você tem com o outro, refletem o seu relacionamento com você mesmo. 

 Quando as circunstâncias se repetem nos relacionamentos, o problema não é do outro. Se isso tem acontecido com você, está na hora de parar com as lamentações e olhar de frente para o que está se passando. 

 Somente um mergulho interno, com disposição para encarar a realidade, poderá colocá-lo frente a frente com as verdadeiras motivações que o(a) levaram a escolher determinado tipo de pessoas. 

Em vez de se recolher e desistir do amor, busque o aprendizado que você necessita fazer. 

 A seguir, mostramos alguns dos principais "erros" cometidos por quem está em busca de um relacionamento amoroso. Aproveite a leitura e reflita sobre o modo como tem se posicionado na vida a dois. 

 Sempre é o tempo certo para recomeçar. 

 Sete erros que comprometem os relacionamentos. 

 Erro número 1: medo do novo. 

 Geralmente, as pessoas se dividem em dois grupos: os que se atiram nos relacionamentos, e os que não querem se entregar porque têm medo de se machucarem outra vez.. O amor é o oposto do medo. Não é porque outros amores não funcionaram antes, que vai ser sempre assim. Se não der uma chance ao novo, estará perdendo antes mesmo de entrar no jogo. Lembre-se: não existem garantias de que uma relação vai dar certo. 

 Erro número 2:  medo da solidão. 

 Muitas pessoas entram no primeiro relacionamento que aparece, jogando-se nos braços de alguém que sequer pararam para observar. Fazem isso porque não suportam ficar sozinhas. Vivem aterrorizadas com a idéia de ficarem sozinhas, por isso fazem qualquer coisa para ter alguém a seu lado. Levam adiante qualquer relação, não importa como, nem a que preço, desde que não fiquem sós. Essa estratégia não funciona e acaba trazendo sofrimento e mais solidão. Mais cedo, ou mais tarde, essas pessoas acabam tropeçando na realidade que não queriam ver. Ninguém pode preencher o buraco da solidão do outro. Em vez de esperar que outra pessoa resolva suas carências, arregace as mangas e enfrente os seus fantasmas. 

 Erro número 3: o grude 

 Determinadas pessoas não conseguem entrar no relacionamento mantendo seu próprio território, e respeitando o do parceiro. Querem estar vinte e quatro horas junto com o outro, mesmo se esse estar junto se resumir a incontáveis mensagens no celuar, e-mails, MSN, etc. Esse grude tem dias contados. Ninguém aguenta viver sufocado pela presença de outra pessoa. Na origem da necessidade de viver colado com o outro, está a insegurança. É ela que leva alguém a exigir a presença constante do outro, como se isso garantisse a manutenção da relação. O que ocorre é o contrário. Quanto mais você apoiar o outro, incentivá-lo a manter sua individualidade, mais chances vocês terão de estabelecer um bom relacionamento. Se você for uma dessas pessoas compulsivamente sufocantes, estabeleça limites para si mesmo. Busque ajuda terapêutica, se o for o caso. Toda relação precisa manter um espaço de liberdade, para que cada um possa ter oxigênio e respirar seu próprio ar.

www.vaidarcerto.com.br/
Pin It

Nenhum comentário

Postar um comentário